ANUNCIE AQUI 01

ENTRE EM CONTATO COM A EQUIPE DO BLOG PELA A PAGINA CONTATO E ANUNCIE EM NOSSO SITE!

ANUNCIE AQUI 02

ENTRE EM CONTATO COM A EQUIPE DO BLOG PELA A PAGINA CONTATO E ANUNCIE EM NOSSO SITE!

ANUNCIE AQUI 03

ENTRE EM CONTATO COM A EQUIPE DO BLOG PELA A PAGINA CONTATO E ANUNCIE EM NOSSO SITE!

ANUNCIE AQUI 04

ENTRE EM CONTATO COM A EQUIPE DO BLOG PELA A PAGINA CONTATO E ANUNCIE EM NOSSO SITE!

ANUNCIE AQUI 05

ENTRE EM CONTATO COM A EQUIPE DO BLOG PELA A PAGINA CONTATO E ANUNCIE EM NOSSO SITE!

Imagens do dia

Imagens da  serie cidade suja. A primeira foto e novamente ao lado do colégio Luis Rocha, a segunda  no portão da quadra de esporte,  e a terceira é na praça da bandeira. Oportunamente mostraremos em outros pontos da cidade.    





DIA DE DIPLOMAÇÃO NO TRE-MA

O Tribunal Regional Eleitoral do Maranhão diploma em sessão solene que será realizada nesta sexta-feira, 19 de dezembro de 2014, dos candidatos eleitos em 2014. A cerimônia ocorrerá a partir das 16h no Centro de Convenções Pedro Neiva de Santana.

Os diplomas serão entregues pelos membros do TRE-MA e das Comissões de Propaganda e de Poder de Polícia.

Serão diplomados 80 candidatos, sendo: 1 governador, 1 vice, 1 senador (primeiro e segundo suplente), 18 deputados federais e 42 deputados estaduais, além do primeiro suplente de cada partido e/ou coligação.

Em nome da Justiça Eleitoral discursará o desembargador Froz Sobrinho e pelos diplomados o governador eleito Flávio Dino.

Veja a relação dos diplomados por cargo

DEPUTADOS ESTADUAIS

– Pela coligação Pra Frente Maranhão 2 (PMDB, DEM, PTB, PV, PT do B, PSC, PRTB e PR – 16 diplomados): Josimar de Maranhãozinho, Andréa Murad, Antonio Pereira, Roberto Costa, Edilázio Júnior, Nina Melo, Leo Cunha, Max Barros, Adriano Sarney, Stênio Rezende, Rigo Teles, Rogério Cafeteira, César Pires, Vinícius Louro, Fábio Braga, Hemetério Weba e o suplente Camilo Figueiredo;

– Pela coligação Todos Pelo Maranhão 4 (PSB, PDT, Pc do B, PSDB – 9 diplomados): Humberto Coutinho, Bira do Pindaré, Neto Evangelista, Fábio Macedo, Raimundo Cutrim, Valéria Macedo, Marco Aurélio, Sérgio Frota, Othelino Neto e o suplente Rafael Leitoa;

– Pelo Partido Republicano Brasileiro (PRB – 3 diplomados): Glalbert Cutrim, Ana do Gás, Junior Verde e o suplente Doutor Pádua;

– Pela coligação Força Jovem (PRP, PSDC e PTN – 3 diplomados): Sousa Neto, Alexandre Almeida, Paulo Neto e o suplente Marcos Caldas;

– Pela coligação Vamos Juntos Maranhão (PEN, PMN, PHS e PSD – 3 diplomados): Eduardo Braide, Carlinhos Florêncio, Ricardo Rios e o suplente Jota Pinto;

– Pela coligação Mudança Para Um Novo Maranhão (PP, PROS, SD e PPS – 3 diplomados): Wellington do Curso, Levi Pontes, Cabo Campos e o suplente Luciano Genésio;

– Pelo Partido Social Liberal (PSL – 2 diplomados): Edson Araújo, Graça Paz e o suplente Raimundo Roma;

– Pelo Partido dos Trabalhadores (PT – 2 diplomados): José Inácio, Francisca Primo e o suplente Yglésio Moysés.

– Pelo Partido Trabalhista Cristão (PTC – 1 diplomado): Edivaldo Holanda e o suplente Toca Serra;

DEPUTADOS FEDERAIS

– Pela coligação Pra Frente Maranhão 1 (PMDB, DEM, PTB, PV, PRB e PR – 7 diplomados): Hildo Rocha, Cleber Verde, Sarney Filho, Pedro Fernandes, Victor Mendes, João Marcelo, Alberto Filho e o suplente Davi Alves Júnior;

– Pela coligação Todos Pelo Maranhão 3 (SD, PP, PC DO B, PPS, PSDB e PSB – 5 diplomados): Eliziane Gama, Rubens Júnior, José Reinaldo Tavares, Waldir Maranhão, João Castelo e a suplente Luana Alves;

– Pela coligação Democrata Trabalhista (PSL, PSDC, PRP, PTN e PRTB – 2 diplomados): Juscelino Filho, Aluisio Mendes e o suplente Ricardo Archer;

– Pela coligação Por Um Maranhão Mais Forte (PEN, PMN, PHS, PSC e PT do B – 2 diplomados): André Fufuca, Júnior Marreca  e o suplente Ildon Marques;

– Pela coligação Pra Seguir em Frente com muito mais mudança (PT e PSD – 1 diplomado): Zé Carlos e o suplente Cláudio Trinchão;

– Pela coligação Todos Pelo Maranhão 2 (PDT, PTC e PROS – 1 diplomado): Weverton Rocha e o suplente Julião Amin;

SENADOR, VICE-GOVERNADOR E GOVERNADOR

– Pela coligação Todos Pelo Maranhão (PP, SD, PROS, PSDB, PC do B, PSB, PDT, PTC e PPS): senador Roberto Rocha e os suplentes Pinto da Itamaraty e Paulo Matos; vice-governador Carlos Brandão e o governador Flávio Dino.

Fonte: Blog do Jorge Aragão
Edmilson Moura.

AERONAVE COMPRADA POR MEIO DE FRAUDE É APREENDIDA NA CASA DO SENADOR LOBÃO FILHO, EM SL.

Pra frente Maranhão. Na tarde desta quinta-feira dia 18 de dezembro de 2014, foi realizada a busca e apreensão de um helicóptero que estava na residência do senador Edison Lobão Filho (PMDB), no bairro do Olho D'Água, em São Luís. A aeronave teria sido comprada mediante fraude bancária no Estado do Pará e teria sido, ainda, utilizada pelo ex- ministro Carlos Lupi e pelo senador Lobão Filho durante a campanha para o Governo do Estado do Maranhão.

O gerente de fiscalização do Bradesco, João Cândido, disse estar surpreso com o envolvimento de um senador da República no esquema criminoso. O banco investiga a compra de 60 bens, entre aviões, caminhões e carros de luxos adquiridos de forma fraudulenta pela empresa C J Oliveira Ltda.

A ação de reintegração de posse também deve ir em busca de mais de 60 veículos que foram adquiridos utilizando o mesmo esquema fraudulento. Os agentes bancários avaliaram o caso como um grande esquema de lavagem de dinheiro.

Com informações TV Guará
Edmilson Moura

Imagem do dia

Mais uma imagem da serie cidade suja. Alô senhor prefeito, o que atas a fazer com o dinheiro do contribuinte?  Que não manda limpar a cidade? Dessa vez é ao lado do colégio Luis Rocha. 

JUIZ QUE MANDOU PRENDER FUNCIONÁRIOS DA TAM É AFASTADO

O juiz Marcelo Testa Baldochi foi afastado de suas funções pelo  Tribunal de Justiça do Maranhão, na manhã desta quarta-feira, dia 17 de dezembro de 2014. O magistrado protagonizou uma cena polêmica no aeroporto de Imperatriz-MA, no dia 6 de dezembro de 2014, quando deu voz de prisão a três agentes da companhia aérea TAM após chegar atrasado para embarcar em voo com destino para São Paulo.

A apuração do caso foi feita pelo desembargador Bayama Araújo. O membro da alta corte do judiciário maranhense apresentou relatório e pediu instauração de procedimento administrativo disciplinar com imediato afastamento das funções judiciais.

Segundo Araújo, a decisão se deu por diversos motivos. A arbitrariedade das prisões não foi o único. Várias instâncias, como a Ordem dos Advogados do Brasil e a Associação dos Magistrados, repudiaram a atitude que ganhou repercussão nacional.

"Jamais tinha sido humilhado dessa forma. Ser chamado de calhorda, de vagabundo, de pilantra", comentou o despachante de voo Argemiro Augusto.

Segundo a investigação da polícia, as câmeras do aeroporto mostram o momento da chegada do juiz Marcelo Baldochi ao balcão da companhia aérea, às 20h37. Os funcionários informam que o check-in do voo para Ribeirão Preto, em São Paulo, havia sido encerrado quatro minutos antes. O juiz então reclama: "Tem que aprender a respeitar o consumidor", diz.

Irritado, dá voz de prisão aos atendentes. "Está preso em flagrante", afirma. Imagens de celular de outro passageiro mostram quando policiais levaram os funcionários para a delegacia.

Representação da OAB. Segundo o CNJ, fora este processo, existem outros seis processos contra o juiz Baldochi que foram arquivados. Esta semana, a Ordem dos Advogados do Brasil entrou com uma representação contra o juiz por causa de denúncias como humilhação e tentativas de dificultar o trabalho dos advogados na região. "Não dá para somar. As reclamações são muitas", revela o presidente da OAB de Imperatriz-MA Malaquias Neves.

"Tudo aí são antecedentes e talvez tenha outros casos que possibilitem, que nos obriguem a tomar providências legais com a abertura de novas investigações", afirma o desembargador Bayama Araújo.

Uma delas envolve o tabelião Robson Cordeiro, que recebeu uma ordem de prisão escrita à mão pelo juiz Marcelo Baldochi dias antes do episódio no Aeroporto de Imperatriz-MA. Ele conta que se negou a entregar de graça a cópia de um documento porque o papel estava sem o selo de gratuidade impresso. "Eu sei que ele é um juiz, a gente tem que cumprir as determinações dele, mas não arbitrariamente dessa forma", diz o tabelião.

Cordeiro foi liberado por falta de provas, mas diz que já encaminhou uma queixa ao Conselho Nacional de Justiça e vai processar o juiz por danos morais. A testemunha dele contra Baldochi é outro juiz. "Eu vou apenas narrar o que eu tomei conhecimento. Não podemos nos furtar a falar a verdade, ainda que seja contra um juiz que é do mesmo tribunal que eu pertenço", conta o juiz Adolfo Pires.

Edmilson Moura.

EDINHO LOBÃO VAI RESPONDER AÇÃO PENAL NO SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL

A Primeira Turma do STF deve julgar no próximo ano o suplente de senador. Edinho Lobão.

Os ministros do Supremo Tribunal Federal decidiram pela abertura de ação penal contra o suplente de senador Edinho Lobão. Ele é acusado de difamar e caluniar Flávio Dino (PCdoB), governador eleito do Maranhão.

A decisão do STF coloca o filho do ministro Edison Lobão como réu de um novo processo.

No período eleitoral, o peemedebista deu entrevista dizendo que Flávio Dino teve uma péssima gestão na Embratur e apontou como “podridão”.

Os advogados de Flávio Dino alegam que Edinho fez críticas quando candidato e não como senador usando sua imunidade parlamentar.

Caso os ministros decidam pela condenação, Edinho Lobão pode pegar até Uma eventual condenação por calúnia (atribuir crime a alguém) prevê de seis meses a dois anos de prisão.

Edmilson Moura.

PREFEITURA DE BACABAL-MA INICIA SINALIZAÇÃO HORIZONTAL

Depois de concluir a pintura vertical e fazer a troca dos postes de madeira por postes de ferro, a empresa Albatroz vencedora da licitação deu inicio a sinalização horizontal como pintura de faixa de pedestre, quebra molas, estacionamentos e linhas divisórias de pista de rolamento.

A sinalização de ruas e avenidas de Bacabal é resultado de um convênio firmado entre a prefeitura de Bacabal e o DETRAN. Ao todo serão 4 etapas até que o trabalho seja concluído.

Da Assessoria da Prefeitura de Bacabal-MA.
Edmilson Moura.

FIM DE PAPO: CORONÉIS DA PM NÃO VÃO PASSAR DOIS ANOS FORA DO MARANHÃO

O futuro secretário de Segurança o delegado Jefferson Portela  disse que “precisamos é de mais policiais no comando”

Indicado para comandar a Secretaria de Segurança Pública do Maranhão durante o governo de Flávio Dino, o delegado Jefferson Portela posicionou-se na manhã desta terça dia 16 de dezembro de 2014 sobre a polêmica acerca do curso de treinamento para coronéis da Polícia Militar do Maranhão a partir de 2015.

Trata-se de um edital publicado no site da PM no fim do governo Roseana Sarney que pretende que, a partir de 2015, metade dos coronéis da PM se afastem por 2 anos de suas atividades para fazer um curso de treinamento fora do Maranhão.

“No momento em que o sistema está em crise, nós não podemos prescindir de 50% do comando policial”, disse Jefferson Portela – e completou: “Nós precisamos é de mais policiais no comando, no planejamento, na execução das operações de segurança”.

O caso foi tratado na tribuna da Assembleia Legislativa pelo deputado Marcelo Tavares – que afirmou ser preciso ter bom senso para a realização dos cursos de aprimoramento, visto que metade do contingente policial não pode deixar o Estado ao mesmo tempo.

Os índices de insegurança no Maranhão aumentaram nos últimos anos. Segundo o Observatório da Violência, o número de homicídios aumentou 400% nos últimos 12 anos, ou seja, é cinco vezes maior que em 1992.

Segundo as informações da Equipe de Transição do atual governo, dos 24 coronéis do Maranhão, 12 estão inscritos no curso de férias que deve durar até 2 anos. O próximo secretário da pasta antecipou ainda que nesta terça o Coronel Alves (futuro comandante da Polícia Militar) solicitou conversa com o atual comando (Coronel Zanoni) para tratar formalmente sobre o caso.

“O Maranhão vive a pior crise de Segurança da sua história e precisamos de colaboração para trazer paz para o nosso estado. Na área de Segurança Pública, cada homem afastado faz falta,” afirmou Portela.

Edmilson Moura.

Imagens do dia.




Vejam que contrassenso, esgoto a céu aberto passando por baixo das bancas de frutas e verduras na frente do mercado. Senhor prefeito, tenha complacência e mais respeito com quem paga seu gordo salário, uma imundice dessas é inadmissível logo no local onde se compra os alimentos do dia a dia. O negocio aqui está ao contrario de governando com responsabilidade, que você prefeito diz ser vossa marca.



MP, TCE e OAB silenciam sobre denúncias contra Roseana Sarney


Nem o envolvimento dos principais nomes da política maranhense no que parece ser o maior escândalo de corrupção do país tem sido suficiente para tirar o Ministério Público do Maranhão (MPMA), a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e o Tribunal de Contas do Maranhão (TCE) da letargia imposta pelos 50 anos de subserviência aos interesses do clã Sarney.

roseana mario macieira
Em família: OAB, presidida pelo primo de Roseana Sarney, Mário Macieira, ainda não se posicionou sobre o suposto pagamento de propina à ex-governadora nas dependências do Palácios dos Leões.

Roseana Sarney, por exemplo, é relacionada ao escândalo da Petrobrás desde a deflagração da Operação Lava Jato, em Março passado, acusada de ter exigido R$ 6 milhões em propina do doleiro Alberto Yousseff para liberar o pagamento de um precatório da Constran. Na edição desta semana, a Veja revelou que a ex-governadora teria recebido suborno nas dependências do Palácio dos Leões.

O Ministério Público do Maranhão, sempre tão tolerante com os desmandos dos Sarney, Lobão, Murad e companhia, ainda não se manifestou sobre as graves suspeitas que pesam contra o melhor governo da vida de Roseana Sarney. Em agosto, até chegou a abrir investigação, no entanto, vencidos os 90 dias estabelecidos para a apuração, o órgão comandado pela procuradora Regina Rocha — tia do ex-secretário Hildo Rocha e com fortes relações afetivas com a oligarquia — não divulgou uma nota sequer sobre o caso.

O mesmo pode ser dito sobre a Ordem dos Advogados do Brasil no Maranhão, presidida pelo primo da ex-governadora, o advogado Mário Macieira, cuja esposa participou diretamente da gestão acusada de receber dinheiro do doleiro. Diante desse silêncio sepulcral, muita gente começa a se preocupar com a reputação da secção local de uma instituição ainda digna do respeito da sociedade brasileira.

Responsável por fiscalizar desvios e ilegalidades que tiverem origem nos altos escalões dos governos, o Tribunal de Contas do Estado também tornou-se cúmplice do crime contra o erário estadual e aprovou, sem ressalvas, a prestação de contas de 2013 da filha de José Sarney, mesmo diante das gritantes irregularidades no acordo firmado entre o governo do Maranhão e a empresa de Ricardo Pessoa (também preso pela Polícia Federal), que transformaram o precatório de R$ 49 milhões numa dívida de quase R$ 120 milhões. A relatoria das contas aprovadas ficou a cargo de um familiar de Roseana.

Imagem do Dia

Veja o contrassenso de um governo que se autodenomina governando com responsabilidade. Um lixão ao lado de um posto de saúde, será que combina? 

FLÁVIO DINO CONVIDA TODOS OS MARANHENSES PARA CERIMÔNIA DE POSSE.

Veja: na imagem ai o convite para a posse do Governador eleito Flávio Dino e que terá rádio pública e internet para enfrentar oligarquia Sarney. Em primeiro de janeiro um jovem de apenas 46 anos de idade, ex-juiz federal, ex-deputado e ex-presidente da Embratur, assume o governo do Maranhão com o compromisso de proclamar a República no Estado.

Trata-se de Flávio Dino, o primeiro governador eleito na história do Partido Comunista do Brasil.

As expectativas em torno de seu governo são imensas: depois de quase 50 anos de controle do Maranhão pela oligarquia do senador José Sarney — com breves interrupções aqui e ali –, metade da população maranhense não dispõe de saneamento básico. É um dado que diz tudo.

Mas há outros: embora esteja em décimo sexto lugar em Produto Interno Bruto, o Maranhão tem o segundo pior Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) da federação, o que reflete uma desigualdade ainda maior que a do restante do país.

Flávio Dino defende o diálogo com todas as forças políticas a partir de convicções claras. Diz que não vai fazer um governo de revanchismo contra os Sarney e seus associados. Porém, sabe que ao implantar a impessoalidade nos negócios do Estado vai acabar atacando os privilégios da oligarquia, que se projetou nacionalmente justamente para preservar o completo domínio sobre os negócios locais.

Um domínio expresso muito além das rodovias, escolas, ruas, cidades, prédios públicos e monumentos que levam “Sarney” no nome. Um domínio que só se tornou possível graças a ferramentas como uma poderosa rede de comunicação que inclui a retransmissora da TV Globo e suas afiliadas, o maior jornal de São Luís, portal na internet e dezenas de emissoras de rádio.

Durante a campanha, esta rede foi usada descaradamente. A TV Difusora de Imperatriz, afiliada do SBT que pertence à família Lobão, subalterna dos Sarney na oligarquia, chegou a produzir uma série de cinco reportagens sobre o comunismo para sugerir aos telespectadores, em um importante colégio eleitoral do Estado, que Flávio Dino comeria criancinhas no café da manhã — conforme denunciou Renata Mielli em O Escandaloso antijornalismo dos Sarney.

Edmilson Moura.

CARRO DO DEPUTADO ALBERTO FILHO CAPOTA E MOTORISTA MORRE NA BR-316

Um grave acidente ocorrido no final da tarde deste sábado dia 13 de dezembro de 2014, na BR 316 entre a Cidade de Pio XII-MA e Povoado Zé Chicão na zona Rural de Olho d'Água das Cunhãs-MA. Que vitimou fatalmente o condutor do veículo usado em Brasília pelo deputado federal Alberto Filho (PMDB).
As causas do acidente ainda não foram esclarecidas mas há rumores de que o motorista, Ailton Ferreira, tenha sofrido um infarto antes do veículo corola capotar.
A vítima era de Brasília e se deslocava de Bom Jardim para Bacabal. Ele estava sozinho no veículo no momento do acidente.

Edmilson Moura.

AÇÃO SOCIAL DO VEREADOR TELES EM BACABAL-MA.

Ação social é um modo de apoiar as pessoas na busca de uma infra-estrutura necessária às expansões de suas consciências espirituais.

O vereador TELES realiza ação social. Sabemos que seus esforços são como gotas d´água no oceano das verdadeiras necessidades de nossa sociedade. Por outro lado não há como medir o valor de uma fome saciada ou de um frio afastado, mesmo que seja de uma única pessoa.

Acreditamos que, através da educação espiritual, poderemos agir como agentes de mudança da consciência social atual, de forma a construir uma sociedade menos injusta, exclusivista e egoísta.

O vereador TELES que há muitos anos levantou essa bandeira em Bacabal-MA, no município, pois a além da cidade povoados são benefiados pelo trabalho social do Vereador, e que neste fim de ano de 2014, muitos serão contemplados com sua ação seja na cidade ou povoados de Bacabal-MA,

O trem da ação social do Vereador TELES não para,  pois muitos povoados e bairros de Bacabal-MA, vai ter a AÇÃO SOCIAL do Vereador TELES, e já está acontecendo, nos povoados. Palmeral. Pinto Texeira. Lagoa Perto. Capueira. Mata Diana. Pau Darco. Moça Preta. Boa Vista da Taba. Povoado Bomba. Pedra do Rumo. Alto dos Crentes e Barreirinha, na sede ou seja em Bacabal-MA, nos bairros Trizidela. Alto Bandeirantes. Vila Graciete. Vila da Paz e Vila Palmeira, e como diz o Vereador TELES, Teles é de todos, mais nem todos é TELES, parabéns por este grandioso trabalho vereador.

Edmilson Moura.  

PREFEITURA DE BACABAL DISTRIBUIU SEMENTES PARA FAMILIAS DA ZONA RURAL

Em 2013 a prefeitura de Bacabal-MA entregou para os pequenos produtores Do município 3 mil quilos de sementes entre milho e arroz. Agora em 2014 a distribuição superou os 8 mil quilos o que beneficiará 30 povoados num total de mil famílias. Com isso a safra 2015 já está praticamente assegurada.

A entrega simbólica das sacas de sementes ocorreu na manhã desta quarta-feira dia 10 de dezembro de 2014 no prédio da Secretaria de Agricultura.

Tratores

Além das sementes, as comunidades rurais receberam mais dois Tratores  que chega através de uma emenda parlamentar do deputado federal Alberto Filho (PMDB) para o arado da terra.

Já é o terceiro trator adquirido por intermédio do parlamentar bacabalense.

Seu Francisco que mora no povoado Bela Vista sabe bem as dificuldades para produzir sem o apoio do poder público e reconhece que o prefeito Zé Alberto tem contribuído para o aumento da produção. “Acho que por conhecer de perto a dificuldade de quem mora no interior o prefeito Zé Alberto tem ajudado muito as comunidades. No ano passado recebemos 3 mil quilos de semente e agora 8 mil quilos, e mais os tratores. Isso vai ajudar demais quem vive da roça”, disse.

Da Assessoria de Imprensa da Prefeitura de Bacabal-MA.
Edmilson Moura.

TRE APROVA POR UNANIMIDADE CONTAS DA CAMPANHA DE FLÁVIO DINO E CARLOS BRANDÃO

A prestação de contas da campanha eleitoral de Flávio Dino e Carlos Brandão (governador e vice-governador eleitos, respectivamente) foi aprovada por unanimidade pelos juízes do Tribunal Regional Eleitoral na tarde desta quinta-feira dia 11 de dezembro de 2014. Acompanhando o voto do relator juiz José Eulálio Figueiredo de Almeida, todos os membros da Corte opinaram pela legalidade das receitas e despesas da campanha dos candidatos eleitos.
Prestar contas sobre arrecadação e gastos realizados durante a campanha eleitoral é uma das obrigações dos candidatos para com a Justiça Eleitoral – que analisa e julga a regularidade dos atos durante a campanha.
Segundo o voto do relator, todas as movimentações realizadas durante a campanha foram demonstradas à Corte Eleitoral e puderam ser analisadas pelos membros do Tribunal na prestação de contas final.

Edmilson Moura

DITADURA MILITAR NO BRASIL, NUNCA MAIS.

Regime Militar de 1964, O golpe militar de 64, Governos Militares , Governo Castello Branco, Governo Costa e Silva, Governo da Junta Militar, Governo Médici, AI-5, Governo Geisel, Governo Figueiredo, Redemocratização, Lei da Anistia, Campanha das Diretas Já, Constituição de 1988. Tanques nas ruas: o primeiro dia do Golpe Militar de 1964.

Aqui vamos para a Introdução da História do Regime Militar no Brasil
Podemos definir a Ditadura Militar como sendo o período da política brasileira em que os militares governaram o Brasil. Esta época vai de 1964 a 1985. Caracterizou-se pela falta de democracia, supressão de direitos constitucionais, censura, perseguição política e repressão aos que eram contra o regime militar.

O golpe militar de 1964
A crise política se arrastava desde a renúncia de Jânio Quadros em 1961. O vice de Jânio era João Goulart, que assumiu a presidência num clima político adverso. O governo de João Goulart (1961-1964) foi marcado pela abertura às organizações sociais. Estudantes, organização populares e trabalhadores ganharam espaço, causando a preocupação das classes conservadoras como, por exemplo, os empresários, banqueiros, Igreja Católica, militares e classe média. Todos temiam uma guinada do Brasil para o lado socialista. Vale lembrar, que neste período, o mundo vivia o auge da Guerra Fria.

Este estilo populista e de esquerda, chegou a gerar até mesmo preocupação nos EUA, que junto com as classes conservadoras brasileiras, temiam um golpe comunista.

Os partidos de oposição, como a União Democrática Nacional (UDN) e o Partido Social Democrático (PSD), acusavam Jango de estar planejando um golpe de esquerda e de ser o responsável pela carestia e pelo desabastecimento que o Brasil enfrentava.

No dia 13 de março de 1964, João Goulart realiza um grande comício na Central do Brasil ( Rio de Janeiro ), onde defende as Reformas de Base. Neste plano, Jango prometia mudanças radicais na estrutura agrária, econômica e educacional do país.

Seis dias depois, em 19 de março, os conservadores organizam uma manifestação contra as intenções de João Goulart. Foi a Marcha da Família com Deus pela Liberdade, que reuniu milhares de pessoas pelas ruas do centro da cidade de São Paulo.

O clima de crise política e as tensões sociais aumentavam a cada dia. No dia 31 de março de 1964, tropas de Minas Gerais e São Paulo saem às ruas. Para evitar uma guerra civil, Jango deixa o país refugiando-se no Uruguai. Os militares tomam o poder. Em 9 de abril, é decretado o Ato Institucional Número 1 (AI-1). Este, cassa mandatos políticos de opositores ao regime militar e tira a estabilidade de funcionários públicos.

GOVERNO CASTELLO BRANCO (1964-1967)
Castello Branco, general militar, foi eleito pelo Congresso Nacional presidente da República em 15 de abril de 1964. Em seu pronunciamento, declarou defender a democracia, porém ao começar seu governo, assume uma posição autoritária.

Estabeleceu eleições indiretas para presidente, além de dissolver os partidos políticos. Vários parlamentares federais e estaduais tiveram seus mandatos cassados, cidadãos tiveram seus direitos políticos e constitucionais cancelados e os sindicatos receberam intervenção do governo militar.
Em seu governo, foi instituído o bipartidarismo. Só estavam autorizados o funcionamento de dois partidos: Movimento Democrático Brasileiro (MDB) e a Aliança Renovadora Nacional (ARENA). Enquanto o primeiro era de oposição, de certa forma controlada, o segundo representava os militares.

O governo militar impõe, em janeiro de 1967, uma nova Constituição para o país. Aprovada neste mesmo ano, a Constituição de 1967 confirma e institucionaliza o regime militar e suas formas de atuação.

GOVERNO COSTA E SILVA (1967-1969)
Em 1967, assume a presidência o general Arthur da Costa e Silva, após ser eleito indiretamente pelo Congresso Nacional. Seu governo é marcado por protestos e manifestações sociais. A oposição ao regime militar cresce no país. A UNE (União Nacional dos Estudantes) organiza, no Rio de Janeiro, a Passeata dos Cem Mil.

Em Contagem (MG) e Osasco (SP), greves de operários paralisam fábricas em protesto ao regime militar.
A guerrilha urbana começa a se organizar. Formada por jovens idealistas de esquerda, assaltam bancos e seqüestram embaixadores para obterem fundos para o movimento de oposição armada.

No dia 13 de dezembro de 1968, o governo decreta o Ato Institucional Número 5 ( AI-5 ). Este foi o mais duro do governo militar, pois aposentou juízes, cassou mandatos, acabou com as garantias do habeas-corpus e aumentou a repressão militar e policial.

A história do Brasil - ditadura militar Passeata contra a ditadura militar no Brasil  

GOVERNO DA JUNTA MILITAR (31/8/1969-30/10/1969)
Doente, Costa e Silva foi substituído por uma junta militar formada pelos ministros Aurélio de Lira Tavares (Exército), Augusto Rademaker (Marinha) e Márcio de Sousa e Melo (Aeronáutica).

Dois grupos de esquerda, O MR-8 e a ALN sequestram o embaixador dos EUA Charles Elbrick. Os guerrilheiros exigem a libertação de 15 presos políticos, exigência conseguida com sucesso. Porém, em 18 de setembro, o governo decreta a Lei de Segurança Nacional. Esta lei decretava o exílio e a pena de morte em casos de "guerra psicológica adversa, ou revolucionária, ou subversiva".

No final de 1969, o líder da ALN, Carlos Mariguella, foi morto pelas forças de repressão em São Paulo.

GOVERNO MEDICI (1969-1974)
Em 1969, a Junta Militar escolhe o novo presidente: o general Emílio Garrastazu Medici. Seu governo é considerado o mais duro e repressivo do período, conhecido como " anos de chumbo ". A repressão à luta armada cresce e uma severa política de censura é colocada em execução. Jornais, revistas, livros, peças de teatro, filmes, músicas e outras formas de expressão artística são censuradas. Muitos professores, políticos, músicos, artistas e escritores são investigados, presos, torturados ou exilados do país. O DOI-Codi (Destacamento de Operações e Informações e ao Centro de Operações de Defesa Interna ) atua como centro de investigação e repressão do governo militar.

Ganha força no campo a guerrilha rural, principalmente no Araguaia. A guerrilha do Araguaia é fortemente reprimida pelas forças militares.

O Milagre Econômico
Na área econômica o país crescia rapidamente. Este período que vai de 1969 a 1973 ficou conhecido com a época do Milagre Econômico. O PIB brasileiro crescia a uma taxa de quase 12% ao ano, enquanto a inflação beirava os 18%. Com investimentos internos e empréstimos do exterior, o país avançou e estruturou uma base de infra-estrutura. Todos estes investimentos geraram milhões de empregos pelo país. Algumas obras, consideradas faraônicas, foram executadas, como a Rodovia Transamazônica e a Ponte Rio-Niteroi.

Porém, todo esse crescimento teve um custo altíssimo e a conta deveria ser paga no futuro. Os empréstimos estrangeiros geraram uma dívida externa elevada para os padrões econômicos do Brasil.

GOVERNO GEISEL (1974-1979)
Em 1974 assume a presidência o general Ernesto Geisel que começa um lento processo de transição rumo à democracia. Seu governo coincide com o fim do milagre econômico e com a insatisfação popular em altas taxas. A crise do petróleo e a recessão mundial interferem na economia brasileira, no momento em que os créditos e empréstimos internacionais diminuem.

Geisel anuncia a abertura política lenta, gradual e segura. A oposição política começa a ganhar espaço. Nas eleições de 1974, o MDB conquista 59% dos votos para o Senado, 48% da Câmara dos Deputados e ganha a prefeitura da maioria das grandes cidades.

Os militares de linha dura, não contentes com os caminhos do governo Geisel, começam a promover ataques clandestinos aos membros da esquerda. Em 1975, o jornalista Vladimir Herzog á assassinado nas dependências do DOI-Codi em São Paulo. Em janeiro de 1976, o operário Manuel Fiel Filho aparece morto em situação semelhante.

Em 1978, Geisel acaba com o AI-5, restaura o habeas-corpus e abre caminho para a volta da democracia no Brasil.

GOVERNO FIGUEIREDO (1979-1985)
A vitória do MDB nas eleições em 1978 começa a acelerar o processo de redemocratização. O general João Baptista Figueiredo decreta a Lei da Anistia, concedendo o direito de retorno ao Brasil para os políticos, artistas e demais brasileiros exilados e condenados por crimes políticos. Os militares de linha dura continuam com a repressão clandestina. Cartas-bomba são colocadas em órgãos da imprensa e da OAB (Ordem dos advogados do Brasil). No dia 30 de Abril de 1981, uma bomba explode durante um show no centro de convenções do Rio Centro. O atentado fora provavelmente promovido por militares de linha dura, embora até hoje nada tenha sido provado.

Em 1979, o governo aprova lei que restabelece o pluripartidarismo no país. Os partidos voltam a funcionar dentro da normalidade. A ARENA muda o nome e passa a ser PDS, enquanto o MDB passa a ser PMDB. Outros partidos são criados, como: Partido dos Trabalhadores ( PT ) e o Partido Democrático Trabalhista ( PDT ).

A Redemocratização e a Campanha pelas Diretas Já
Nos últimos anos do governo militar, o Brasil apresenta vários problemas. A inflação é alta e a recessão também. Enquanto isso a oposição ganha terreno com o surgimento de novos partidos e com o fortalecimento dos sindicatos.
Em 1984, políticos de oposição, artistas, jogadores de futebol e milhões de brasileiros participam do movimento das Diretas Já. O movimento era favorável à aprovação da Emenda Dante de Oliveira que garantiria eleições diretas para presidente naquele ano. Para a decepção do povo, a emenda não foi aprovada pela Câmara dos Deputados.

No dia 15 de janeiro de 1985, o Colégio Eleitoral escolheria o deputado Tancredo Neves, que concorreu com Paulo Maluf, como novo presidente da República. Ele fazia parte da Aliança Democrática – o grupo de oposição formado pelo PMDB e pela Frente Liberal.
Era o fim do regime militar. Porém Tancredo Neves fica doente antes de assumir e acaba falecendo. Assume o vice-presidente José Sarney. Em 1988 é aprovada uma nova constituição para o Brasil. A Constituição de 1988 apagou os rastros da ditadura militar e estabeleceu princípios democráticos no país.

Fonte: Sua Pesquisa. com
Edmilson Moura